Todas as grandes cidades do Paraná terão protestos com apoio da Faciap

Todas as grandes cidades do Paraná terão protestos com apoio da Faciap

 

Associações comerciais e empresariais, ligadas à FACIAP, Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná, estão mobilizadas em todo o estado e vão às ruas participar da manifestação popular deste dia 13. O movimento “Brasil, mostra a sua garra”, liderado pela Faciap, incentiva empresários de todo o estado a se envolverem. A iniciativa, que é apartidária, defende a responsabilidade fiscal e econômica do poder público, transparência como arma contra a corrupção, a justiça, que não pode agir em favor de interesses particulares, a ética nas relações sociais e o respeito aos cidadãos brasileiros.

Para o presidente da Faciap, Guido Bresolin, neste momento, em que o país acompanha os desdobramentos da operação Lava Jato, está claro que o movimento é necessário. “Hoje vemos que esses valores defendidos no movimento ‘Brasil, mostra a sua garra’ são importantes e fazem parte do cidadão paranaense”, disse ele. “O país vive um momento ímpar. O brasileiro se sente de alma lavada quando assiste acontecimentos como os da operação, depois de tantas manifestações nas ruas, e de muita luta por valores, que a Faciap defende nesta campanha”.

MOBILIZAÇÕES

Na região de Londrina, o presidente da CACINP, Coordenadoria das Associações Comerciais e Industriais do Norte do Paraná, Helder Miranda de Paiva, afirma que os manifestantes vão se concentrar no Colégio Vicente Rijo, no centro de Londrina, às 15h. A expectativa é que mais de 40 mil pessoas participem. “Tenho dito para quem eu conheço: neste domingo, não vá pescar, nem vá à praia. Vá para a rua”, afirmou ele. “Toda a população foi convocada. É a hora de dar a nossa resposta, não podemos vacilar”. Segundo Paiva, tambem haverá manifestações em Cambé, Ibiporã, Apucarana e Cornélio Procópio.

Em Londrina, a manifestação será em forma de bloco, chamado de “Operários do Brasil”. Os participantes, convocados pela ACIL, Associação Comercial e Industrial de Londrina, estarão com a camiseta do Movimento “Brasil Mostra Sua Garra” e capacetes de proteção, utilizados na construção civil. A ideia, de acordo com Valter Orsi, vice-presidente da Faciap e presidente da ACIL, é protestar pacificamente. “Temos o direito de exercer a nossa indignação e é a presença das pessoas que vai demonstrar que esse descontentamento. A sociedade precisa dar esse respaldo para que o poder legislativo tome previdências. De maneira ordeira e respeitosa”, afirmou Orsi.

Em Guarapuava, no dia 13, os empresários se unirão ao movimento “Moraliza Guarapuava”, que luta pela utilização dos recursos do município de maneira mais responsável. Dezoito entidades participam. “A união entre entidades pode ter um impacto maior”, afirmou o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Guarapuava, e também vice-presidente adjunto da Faciap, Eloi Mamcasz. “Se o Brasil está o que está, temos que começar pelo nosso quintal”. Em Guarapuava, a concentração será às 14h, na praça Cleve, no centro.

Empresários da região de Campo Mourão também estão mobilizados. A concentração, no dia 13, será na praça da matriz, às 9h30. Segundo o presidente Ivan Marcelo Chiroli, haverá caminhões de som. E são esperadas mais de 5 mil pessoas. “Essa é a hora. Não adianta estarmos indignados e ficarmos em casa. Acredito que é a única maneira de fazermos os políticos, que precisam de votos, refletirem sobre a sua atuação”, disse Chiroli.

Em Paranavaí, a manifestação vai reunir empresários das associações comerciais e empresariais de várias cidades da região. Eles vão se reunir pela manhã, às 9h, na Praça dos Pioneiros. “Se aquele que está sendo prejudicado nesse momento que o país vive, não levantar a bandeira, vai pagar e caro lá na frente, mais do que já está pagando”, disse Ricardo Bertochil Gimenes, presidente da CACINPAR, Coordenadoria das Associações Comerciais do Noroeste do Paraná.

O movimento no dia 13 foi denominado Festa da Democracia em União da Vitória e será na Praça do Chafariz, em Porto União, cidade catarinense que faz divisa com União da Vitória pelos trilhos, a partir das 15h. “É um momento do setor produtivo fazer pressão contra este cenário de instabilidade, demonstrando a força da democracia em conjunto com todas as entidades organizadas”, diz Maria Salette Rodrigues de Melo, presidente da Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Centro-Sul do Paraná (CACESUL).

Haverá caminhada em Maringá. Empresários vão se reunir na ACIM, Associação Comercial e Empresarial de Maringá, para caminharem até a catedral, no centro da cidade, onde às 13h deve começar a manifestação. “Mais de vinte entidades estão conosco, como OAB, Rotary e sindicatos”, diz o empresário Marco Tadeu Barbosa, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Maringá e vice-presidente da FACIAP. “A sociedade não aguenta mais. Os empresários precisam aproveitar esse momento e irem para a rua”.