NOTA FACIAP AO SISTEMA

A FACIAP – Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná informa a seu sistema que, ao acreditar na legitimidade das demandas dos transportadores autônomos no início das paralisações, apoiou o movimento que defendia interesses que refletem em toda cadeia produtiva do país.

Com a morosidade do Governo Federal em solucionar os impasses, mais uma vez a FACIAP pronunciou-se, desta vez sugerindo uma pauta positiva, um estado mais enxuto e mais barato ao cidadão brasileiro.

Reitera, portanto, esta Federação, de que é chegado o momento de os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário voltarem suas vistas ao cidadão e ao empresário brasileiro – grande gerador de riqueza do país – que frequentemente são abalroados com a carga tributária em constante elevação, e ao transporte rodoviário, principal sistema logístico nacional, responsável por 56% de todas as cargas movimentadas no território.

 

Vive-se um momento especialmente crítico, onde o único ponto positivo que se vislumbra é o de caráter social: Considerando que o abastecimento até de alimentos e gás de cozinha foi comprometido, os brasileiros, de diferentes classes sociais se mobilizaram por uma causa, requisitando ao governo a redução de preço de produtos.
Contudo, a paralisação foi de somente uma classe, e mesmo após terem conseguido o que pediram do Governo Federal (e o que conseguiram a mais) as paralisações não cessaram.

Infiltrados nos movimentos, muitos oportunistas ainda impedem e constrangem os motoristas a permanecerem nos locais obstruídos. Neste ponto, a FACIAP defende que as medidas cabíveis sejam tomadas pelo governo.
Ressalte-se que o brasileiro tem vivido no limite do suportável nos últimos dias e, não sendo rapidamente adotadas medidas de retomada das estradas, escoamento da produção, reabastecimento de mercadorias e restabelecimento da ordem econômica, os direitos fundamentais do cidadão serão atingidos.

Na data de ontem, a Faciap e as demais entidades que compõem o G7 – Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Federação da Agricultura do Paraná (Faep), Federação e Organização das Cooperativas do Paraná (Fecoopar), Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio-PR), Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Paraná (Fetranspar) e Associação Comercial do Paraná (ACP) – maiores entidades do setor produtivo do Estado do Paraná, reuniram-se com a Governadora Maria Aparecida Borghetti, onde foram levantados os imensuráveis prejuízos que a greve causou ao Estado, à iniciativa privada e às famílias paranaenses.

Desta feita, o sistema Faciap clama pela imediata retomada das atividades habituais do cidadão paranaense, incluídas as rotinas de trabalho, a vida escolar, a manutenção dos serviços de saúde e o direito à alimentação.

O momento é de serenidade. A classe empresária paranaense quer voltar a produzir, mas está atenta à omissão dos entes federativos, pontualmente neste cenário, em enxugar seus gastos, mas somente adotando medidas paliativas.

FACIAP – Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná.