Fórum Mercado em Foco destaca cases locais de sucesso e reafirma importância da estratégia nos negócios na ACIL

dsc_5588

Pensar diferente. A ação foi apontada como uma das principais estratégias para adaptar a performance empresarial num mercado em constante transformação. Na manhã desta quarta-feira, 28, a 2ª edição do Fórum Mercado em Foco, promovido pela ACIL, reuniu em seu auditório principal mais de 60 empresários interessados em adquirir conhecimento sobre inovação, mercado, tendências e, um dos principais alvos, o consumidor.

“Estamos diante de um mercado cada vez mais competitivo e complicado. Todas as informações e ferramentas possíveis são necessárias para que nossas empresas preservem seus espaços com dinamismo e sucesso”, ressaltou o presidente da ACIL, Claudio Tedeschi.

Na palestra “A Performance Empresarial em um Cenário de Mudanças: O que as empresas de diferentes tamanhos podem nos ensinar sobre excelência e desempenho”, o executivo Marco Aurélio Kumura lembrou que não há uma fórmula pronta para ter espaço no mercado. Mas o passo inicial e, talvez, um dos mais importantes, é agregar conhecimento. “Aquela velha ideia de que quanto mais variedade de produtos e serviços melhor será nosso bem-estar está errada. Essa avalanche de opções causa no consumidor uma paralisia paradoxal e faz com que o processo de tomada de decisão fique mais difícil. Hoje é primordial entender o comportamento de compra do ser humano e, a partir daí, aprender de que forma é possível influenciar tal decisão. Quando a empresa compreender bem seu cliente, será possível avaliar melhor seu produto e a venda se fará por si só”, diz o consultor.

dsc_5695

Tão importante como estudar o comportamento e a transformação do mercado, criar modelos de negócios diferenciados é um dos fatores fundamentais para se obter sucesso. “Temos um novo consumidor. E temos também modelos de negócios que precisam ser formatados para atender esse novo consumidor. As empresas devem estar no cérebro dos consumidores”, garante Kumura. O palestrante também aposta para um conjunto de fatores que devem fazer parte do processo de adaptação do negócio. “O cliente quer inovação, benefícios, qualidade de vida, facilidades, experiências agradáveis e personalização.”

Empresa x Estratégias

Mas num cenário saturado pela competitividade, como encontrar as melhores estratégias para inovar o modelo de negócio e atender bem o consumidor?

“A melhor forma de entender o consumidor é se fazer presente, entender que aquilo que é diferencial para ele deverá ser buscado diariamente por você. Crie um canal de comunicação para estar mais próximo do seu cliente”, ressaltou Márcia Manfrin, fundadora e presidente da Apetit Serviços de Alimentação, considerada uma das melhores empresas para trabalhar no Brasil segundo a revista Você S/A e o Instituto Great Place to Work.

Para Dalton Swain Conselvan, vice-presidente da Veltec, destacada no ranking Exame/PME entre as 250 empresas com a maior taxa de crescimento no Brasil, “o desafio é enxergar a dor que o cliente está sentindo e ajudá-lo com soluções. É preciso ouvir o cliente e estar perto dele rotineiramente”.

André Yui comanda a Key Design, uma marca conceito que desponta como um case de sucesso no comércio eletrônico brasileiro, e defende que o empresário precisa estar preparado para todo tipo de cenário. “Somos do tamanho que nossos consumidores nos enxergam. É importante estudar muito, adquirir conhecimento e gerar valor. Para cuidar do posicionamento é preciso disciplina. Nosso objetivo é pensar a longo prazo, não focamos em bater meta no fim do mês.”

Durante o Fórum Mercado em Foco os três empresários londrinenses compartilharam experiências de gestão de negócios no painel sobre “A execução da estratégia no dia-a-dia das empresas”. Eles também contaram como é possível se tornar um case de sucesso diante de um cenário dinâmico e instável.

“Acredito que o desejo de nos superar todos os dias, nos preocupar menos com a concorrência e objetivar nossa performance é o que nos dá condições para continuar atuando no mercado”, revela Márcia Manfrin.

Dalton Conselvan concorda com o raciocínio. “Idealizamos atingir um objetivo e trabalhamos duro para isso. Buscar o sucesso é lutar por aquilo que você se propôs a fazer.”

“Ser uma empresa pequena é diferente de ser uma empresa amadora. É importante operar de maneira profissional e se espelhar em grandes cases. Assim a gente tem mais chance de competir com sucesso”, enfatiza André Yui.

Fonte: Assessoria ACIL